Monthly Archives

dezembro 2016

slide1
Comportamento, Geral, Reflexão

GRATIDÃO

Último artigo de 2016. Nessa época costumamos fazer uma retrospectiva do que foi vivido ao longo do ano. Foram 27 artigos falando sobre temas variados, que por algum motivo me chamaram a atenção. O objetivo foi sempre a reflexão, compartilhar meus pensamentos e sentimentos. A inspiração veio das mais diversas fontes.

Já falei esse mês sobre a importância de agradecermos por todas as coisas boas que aconteceram. Isso é natural.

No entanto, as dificuldades, tristezas e dores porque passamos ao longo do ano insistem em marcar presença em nossas lembranças. Parece inerente a esse período, basta ver as retrospectivas.

Então vamos agradecer por elas também.

Ninguém quer passar por dificuldades, mas elas fazem parte da vida e, assim como as alegrias, constroem aquilo que somos. A diferença entre as pessoas talvez esteja muito mais na forma como enfrentam as adversidades do que nas alegrias que vivem.

Além disso, sabemos da doçura porque experimentamos o amargo. Sabemos do frio, porque vivemos o calor. Assim como num monitor cardíaco, só há vida quando existem altos e baixos.

Busquemos a felicidade, mas vamos extrair das dores todo o aprendizado possível. Vamos nos fortalecer com elas, sem endurecer ou nos fecharmos.

Esse é outro ponto: muitas vezes para nos proteger, ou proteger àqueles que amamos, acabamos por levantar defesas (e elas são importantes) de tal magnitude que acabamos por impedir que alegrias, aventuras e coisas boas penetrem e cheguem até nós. Difícil equilíbrio.

Assim sendo, sejamos gratos a cada minuto vivido nesse ano, a cada experiência, cada encontro. Acima de tudo sejamos gratos pelas pessoas que fizeram parte de nosso ano.

Para 2017 desejo à você que as experiências sejam ricas, o aprendizado constante. Que você seja feliz, que tenha força, discernimento e sabedoria para enfrentar as dificuldades. Que os encontros sejam alegres e que as pessoas sejam muito mais importante do que as coisas. Que você possa estar inteiro em cada experiência vivida, desfrutando de cada momento. Que você insista e não desista do que é realmente importante, mas deixe ir tudo o que não lhe pertence ou não lhe faz bem. E que você tenha muitos sonhos.

Feliz Ano Novo!!!!

 

 

copia-2-de-slide1
Comportamento, Geral, Reflexão

O MELHOR PRESENTE

Nos artigos deste mês tenho falado de temas referentes aos sentimentos que marcam a chegada do final do ano. Falei de gratidão, caridade, solidariedade, empatia…

Para a grande maioria das pessoas essa é uma época de alegria, de família reunida, de presentes e tradições. Para outros um momento de saudades, de tristeza até. Mas acredito que todos são tocados de alguma forma pela chegada do Natal.

Preparativos são feitos: árvores e enfeites, as melhores receitas para ceia, uma roupa nova, talvez, e presentes. Uma série de celebrações entre amigos ou colegas de trabalho.

Acabamos por chegar ao dia do Natal cansados, pois são tantos os compromissos e coisas a fazer que passamos o mês na correria. Embora tenhamos prometido que iríamos nos preparar com antecedência, cá estamos com uma série de coisas que deixamos para o último momento. Faz parte.

Mas não vamos esquecer que a melhor receita da ceia é estarmos reunidos em volta da mesa com as pessoas que amamos. Que o melhor presente é um abraço carinhoso, um sorriso alegre por estarmos juntos.

Com o passar dos anos, quando olharmos as inúmeras fotos deste dia, talvez lembremos se o peru estava bom ou não, e do presente que ganhamos, mas a mais bela lembrança, aquela que deixará saudades, será dos encontros, das risadas, das histórias. Porque são as pessoas e os afetos que realmente importam.

Então nesse ano faça uma bela ceia, troque presentes, mas pense em algo especial que você gostaria de dizer para cada um. Escreva um cartão e que ao entregá-lo o abraço seja por inteiro. Aos que estiverem distantes um telefonema e aos que já se foram uma oração.

Lembremos do primeiro Natal, onde celebrou-se o nascimento de uma criança e com ela de uma família, onde o maior presente foi o amor.

 

 

slide1
Comportamento, Geral, Reflexão

SOLIEDARIEDADE

Nesta época do ano os sentimentos de amor e fraternidade estão aflorados. Em especial quando falamos de crianças.

O Natal é a celebração de um aniversário. Para aqueles que creem o aniversariante é o presente maior, dado a nós num gesto supremo de amor.

Para outros a celebração é a chegada do Papai Noel. Um bom velhinho que está presente na decoração, nas propagandas e filmes da televisão. Ele trará presentes para todas as crianças, essa é a lenda.

Para que nenhuma criança fique sem presente uma rede de caridade é montada. Nos shoppings, nas igrejas, nas escolas podemos escolher o nome de uma criança para a qual compraremos presente, roupa, guloseimas.

Esse é um bom momento para ensinarmos nossas crianças sobre a solidariedade e o desapego. Para ensiná-las a voltarem o seu olhar para o outro. Escolher alguns brinquedos com os quais não brincam mais, mas que ainda estão em bom estado, para dar às crianças que não têm a mesma sorte.

Mas não basta simplesmente se desfazer dos brinquedos. É importante entregá-los pessoalmente conhecer de perto a difícil realidade de tantas crianças. Desenvolver a empatia, a gratidão e dar valor ao que tem. Não só brinquedos, mas conforto, fartura, uma família.

Percebo na prática diária do meu consultório muitas crianças que são muito autocentradas. Isso não é bom para elas. Precisam aprender a olhar o outro, se compadecer dele e a partilhar. O Natal é um bom momento para iniciar esse aprendizado que deve seguir o ano inteiro.

Ensinar as crianças a voltarem seu olhar para o outro de forma empática, sobre a importância da solidariedade e do desapego é investir no futuro, na construção de um mundo melhor, mais pacífico e feliz!

 

slide1
Comportamento, Geral, Reflexão

DEZEMBRO CHEGOU!

E já é dezembro! E sem que nos déssemos conta mais um ano está para terminar. Vitrines decoradas, luzes na cidade, pinheirinhos e presépios nas casas. Festas de final de ano, amigo secreto, listas de presentes e pensar na ceia. A rotina se repete.

Para muitos uma época de celebração e alegria. Para muitos uma época melancólica e de saudades. Acredito que ninguém passa imune ao mês de dezembro.

2016 não foi um ano fácil, para o país, para o mundo. 2017 iniciará apreensivo. Não quero fazer uma retrospectiva, afinal as revistas, os jornais e a televisão nos trarão um resumo detalhado de todos que se foram, de todas as tragédias e crises vividas ao longo do ano. Talvez nos lembrem de um ou outro acontecimento bom que tenha ocorrido. Essa parece ser a natureza humana: olhar com especial atenção para o lado trágico da vida. O drama atrai.

Minha proposta é subverter essa tendência e focarmos nosso olhar nas coisas boas que aconteceram, nas alegrias que tivemos. E agradecer…

É simples: pegue o celular e navegue pelas suas fotos de 2016. Dificilmente fotografamos os momentos difíceis. Talvez porque não precisamos de ajuda para lembrar deles. É para lembrar das coisas boas que precisamos de auxílio.

Veja cada foto e recorde daquele momento, das pessoas, dos sentimentos e agradeça. Agradeça por cada sorriso, cada pequena celebração. Agradeça pelos lugares que visitou, pelos pratos que experimentou e pelas festas em que esteve. Agradeça pelas parcerias, pelas realizações e superações. Agradeça pelo cuidado, pelo carinho, pela amizade, pelo afeto.

Se ao olhar as fotos se lembrar de outros momentos, mais singelos ou corriqueiros e, por isso, não fotografados, também agradeça.

E ao fazer um post, ou mandar um e-mail ou escrever um cartão desejando Feliz Natal e Próspero Ano Novo inclua um agradecimento pelo que foi vivido em 2016.

Vamos recordar, reconhecer, agradecer e retribuir o que foi bom. Trazer essa energia boa para os últimos dias desse ano para que seja esse o tom do ano que em breve começa. Felicidade e gratidão!